Balanço: chuvas deixam dois mortos e 12.300 pessoas fora de casa no Noroeste Fluminense

0

Rio Muriaé começa a baixar, mas Defesa Civil e Bombeiros seguem em alerta

Esta segunda-feira completa o quinto dia de enchentes na Região Noroeste Fluminense. As chuvas atingiram os municípios de Muriaé, Porciúncula, Varre-Sai, Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana, Italva e Cardoso Moreira. Segundo o Corpo de Bombeiros de Itaperuna, a média de atendimentos diários prestados pela corporação neste período de cheias saltou de 20 para 100. Duas pessoas morreram e cerca de 12.300 foram forçadas pelas águas a deixarem suas casas.

Segundo o comandante do 21º Grupamento de Bombeiro Militar de Itaperuna (21º GBM), Charbio Guijarro, às 21h de domingo (26), o Rio Muriaé atingiu sua maior cota no período, que foi de 6 metros, cerca de 1.5 metro acima da cota de transbordo. “Quando um rio fica 1.5m acima da cota de transbordo, isso é catastrófico para uma área urbana. Por isso, os municípios da região foram tão atingidos”, esclareceu o comandante.

Ainda segundo o comandante, nos últimos cinco dias, o 21º GBM e seus cinco destacamentos viram a média de atendimentos aumentar cerca de 500%.

O Corpo de Bombeiros confirmou duas mortes na região. Tarciano dos Reis Gama, de 19 anos, desapareceu no sábado, ao ser arrastado pela correnteza do Rio Muriaé, em Itaperuna. Durante uma brincadeira com amigos, ele pulou da ponte e não foi mais visto. Seu corpo foi localizado na manhã desta segunda. De acordo cm Guijarro, um homem de 42 anos morreu em Porciúncula, nas mesmas circunstâncias.

De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec-RJ), nesta segunda-feira, cerca de 40 agentes da Sedec-RJ seguem atuando na gestão de desastres na Região Norte/Noroeste, com apoio de viaturas recém adquiridas com recursos da Taxa de Incêndio. “A secretaria realiza distribuição de água e de material de ajuda humanitária para desalojados e desabrigados – colchões e kits dormitórios com lençol, cobertor, travesseiro e fronha”, disse o órgão em nota.

Ainda segundo o órgão, o Corpo de Bombeiros auxilia as ações da Sedec-RJ na região com cerca de 100 bombeiros militares, viaturas, embarcações, helicópteros, barracas de camping, coletes, lanternas, cordas para salvamento de pessoas, entre outros equipamentos.

“A Defesa Civil Estadual, por meio do Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ), segue monitorando as condições meteorológicas e os índices pluviométricos da região. Os níveis dos rios Pomba, Muriaé e Carangola e Itabapoana estão baixando. Ainda inspira preocupação a situação dos leitos em Italva e Cardoso Moreira”.

Águas invadiram as casas
De acordo com a Defesa Civil, na região Noroeste, cerca de 12. 300 tiveram que deixar suas casas por causa da inundação.
Em Itaperuna são 3.645 (entre desalojados e desabrigados)
Porciúncula — 3.640
Laje do Muriaé — 2.060
Bom Jesus do Itabapoana — 1.375
Italva — 1.050
Cardoso Moreira — 350
Natividade — 150
Varre-Sai — 30

Fonte: Terceira Via

Campartilhe.

Comentários desativados.