Bispo de Campos dos Goytacazes, RJ, faz abertura da Campanha da Fraternidade em Itaperuna

0

O Bispo de Campos, Dom Roberto Francisco preside o lançamento da Campanha da Fraternidade no domingo (08/03), na Paróquia São José do Avahi em Itaperuna

O Bispo de Campos, Dom Roberto Francisco preside o lançamento da Campanha da Fraternidade no domingo (08/03), na Paróquia São José do Avahi em Itaperuna. A programação será aberta às 9h com missa, e as 10h35 acontece a cerimônia de abertura.

A Campanha que, neste ano, convida a um olhar mais atento e detalhado para a vida. Com o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34), o objetivo é conscientizar, à luz da palavra de Deus, sobre o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, casa comum.

A Campanha da Fraternidade é o modo com o qual a Igreja no Brasil vivencia a Quaresma. Há mais de cinco décadas, ela anuncia a importância de não se separar conversão e serviço à sociedade e ao planeta. A cada ano, um tema é destacado, assim, a Campanha da Fraternidade já refletiu sobre realidades muito próximas dos brasileiros: família, políticas públicas, saúde, trabalho, educação, moradia e violência, entre outros enfoques.

A Campanha deste ano se inspira em Santa Dulce dos Pobres como exemplo bíblico do agir como “Bom Samaritano”. \\”Ouvir, sentir compaixão e cuidar\\” são os verbos bíblicos que a Igreja Católica vai trabalhar na Quarema.

\\” Em 2019 fizemos fóruns debatendo as Políticas Públicas de Itaperuna em relação a \\”Destinação de Resíduos Sólidos\\”, \\”Saúde\\” e \\”Mobilidade Urbana\\” e um Abaixo Assinado acompanhado de um Manifesto Comunitário pela conclusão de Obras Públicas de Infra-estrutura e Saneamento paralisadas em Itaperuna, que inclusive já deu fruto com a previsão de licitação em 05/03/2020 para conclusão de uma ponte\\” destaca o Diácono Francelino da Silva Junior.

O Bispo de Campos Dom Roberto Francisco destaca o ícone e mestra desta edição, o exemplo luminoso e singelo de Santa Dulce que sempre esclarecia “A minha política é a do amor ao próximo”. Segue a mesma metodologia pastoral do Ver, Julgar ou Discernir e Agir, desenvolvendo o tema em três partes, acompanhando os três verbos: viu, sentiu compaixão e cuidou dele.

\\” Na primeira parte, visamos nos impregnar do olhar atencioso e terno de Jesus que rompe com o olhar da indiferença que traz abandono, destruição, exclusão e descarte, de pessoas, das multidões e da Casa Comum. Na segunda parte, assumimos a atitude firme e entranhável da compaixão, partindo do olhar para o coração e a tomada de posição de colocar a justiça que soergue e restaura o próximo no coração, vivenciando e testemunhando a caridade, o verdadeiro sentido da vida. Na terceira parte, nos passos de Jesus aprendemos seu jeito de cuidar e servir de muitas formas e modos. O verbo servir e amar se conjuga em vários tempos e âmbitos: pessoal, comunitário, social e ambiental, levando a renovação familiar e a formação de comunidades eclesiais e missionárias. Fortalecendo nossa presença e compromisso com os pobres, aprofundando e ampliando a Jornada Mundial dos pobres em nossas comunidades. Que Santa Dulce e também tantos exemplos de vidas doadas como Zilda Arns, Margarida Alves, e milhares de pessoas anônimas e samaritanas, servas fiéis do Reino, nos unam na compaixão alegria e esperança dos pequenos que não deixa de crescer. – destaca. Fonte: Ascom

Campartilhe.

Comentários desativados.