Chuva causa alagamentos e deslizamentos em Itaocara e Aperibé, no RJ

0

Não há registros de feridos, desalojados ou desabrigados.

A forte chuva registrada na tarde desta quarta-feira (20/11),causou transtornos e prejuízos no noroeste do estado. Contudo, não há registros de feridos, desalojados ou desabrigados. Confira o balanço:

Itaocara:

A chuva forte e quase ininterrupta há quase 20 horas em Itaocara está resultando em pontos de alagamentos e deslizamentos de terra. Na Sede, houve princípio de alagamento nas imediações da Rua São José, a principal via da cidade. Um valão transbordou no Bom Vale. Há informações de deslizamentos de terra no Juca Rocha, Eucalipto e no Florestal. No Juca Rocha, a terra voltou a ameaçar duas residências na Rua 4. A casa havia sido interditada pela Defesa Civil de Itaocara no ano passado, mas sem ter para onde ir, a moradora da casa debaixo teve que permanecer no imóvel.

“A prefeitura ficou de fazer um muro de contenção, o qual está colocando minha residência em risco com o período das chuvas já faz mais de 1 ano e até agora nenhuma providência foi tomada.”, comenta a moradora.

No Florestal, a Defesa Civil foi acionada para atender outro deslizamento de terra. A encosta atingiu os fundos de uma casa e ameça outros imóveis. Enquanto isso, o Corpo de Bombeiros apura um outro deslizamento de terra no Eucalipto. O muro caiu e atingiu uma moto na Rua Bom Jesus Matosinhos. Em nenhum dos deslizamentos houve vítimas.

No Centro, a Rua São José voltou a alagar, mas os carros transitavam normalmente. A água escoou após a intensidade da chuva diminuir. No Bom Vale, um valão transbordou pela segunda vez neste mês. Os moradores já vinham solicitando limpeza e o desassoreamento do valão antes do início das chuvas. Choveu mais de 100 milímetros no Centro. O volume é mais da metade da média histórica do mês de novembro.

Aperibé:

Embora a chuva tenha sido menos intensa no município vizinho de Aperibé nesta quarta-feira (20), os moradores também relatam transtornos, principalmente nos bairros em que há carência de infraestrutura. Na Serrinha, um córrego transbordou e inundou uma rua. A limpeza do córrego, que está assoreado e coberto pelo mato alto, já era reivindicação antiga de moradores, que temiam as inundações. Outras ruas da localidade também alagaram durante a chuva mais intensa.

O coordenador da Defesa Civil de Aperibé, Jeferson Lopes, que está na Serrinha, informou que não há desalojados ou desabrigados no município até o momento. Alguns moradores ergueram os pertences por precaução, apesar de a chuva ter diminuído no início desta noite.

Também houve transtornos para os moradores do loteamento Derane. A água da chuva escoa com dificuldade devido ao sistema de drenagem do loteamento precário e as ruas ficam tomadas de lama. “O esgoto que a prefeitura não faz para ninguém, as causas estão ficando tudo… Até no morro entra água [em casas], porque a prefeitura não faz nada…”, disse revoltado um dos moradores da localidade. Fonte: Folha Itaocarense

Campartilhe.

Comentários desativados.