Da Baixada Campista para a Rússia: aluno de Campos representa o Brasil em olimpíada de profissões

0

A 45ª edição do evento, realizado a cada dois anos, reunirá os melhores estudantes de 63 países, disputando em 56 modalidades.

O aluno da Firjan SENAI Campos, Ralph de Sousa Crespo, vai representar o Brasil na ‘WorldSkills 2019’, maior competição profissões do mundo, que acontecerá na cidade de Kazan, na Rússia, de 22 a 27/08. A 45ª edição do evento, realizado a cada dois anos, reunirá os melhores estudantes de 63 países, disputando em 56 modalidades.


Ralph vai disputar a ocupação Soldagem e terá que demonstrar suas habilidades individuais e coletivas para responder aos desafios de suas ocupações dentro de padrões internacionais de qualidade.
Ele já foi medalhista de ouro na WorldSkills Américas, que reuniu alunos das Américas do Sul, Central e do Norte e também na etapa nacional seletiva, onde concorreu com dez estados e desbancou, no desempate, o Rio Grande do Norte, invicto desde 2011.

Ralph, que é morador de Donana, na Baixada Campista, embarcou no último domingo para a Rússia. Um enorme passo para ele, que nasceu e passou sua infância no interior. Em 2014, ele foi incentivado pela irmã mais velha se inscrever para o curso de aprendizagem, na Firjan SENAI Campos. Sempre compenetrado e estudioso, chamou a atenção os instrutores que viram nele potencial para disputar a etapa municipal e estadual, as quais ele também venceu.


“Quando comecei, não imaginava que chegaria tão longe, mas a cada conquista me sentia mais motivado a continuar e me tornar o melhor soldador do mundo”, afirma.


Desde então, ele segue uma rotina intensa de treinamentos. Nos últimos meses, Ralph treinou de 10 a 11 horas por dia. Integrando a equipe Top One,  passou a treinar sob a gestão técnica de experts em sua ocupação, realizando um trabalho de aperfeiçoamento profissional.


“Sou muito determinado e, por minha conta, ultrapassei o horário de treinamento diversas vezes. Mas valeu a pena porque cheguei até aqui”, diz.

WorldSkills
Para participar da WorldSkills, é necessário passar por algumas etapas: escolar, regional, estadual, seletiva para a WorldSkills (antiga fase nacional) e WorldSkills (mundial).


Em cada uma delas, os alunos realizam provas nas quais precisaram mobilizar conhecimentos, habilidades e atitudes para superar desafios em sua área de formação, dentro de prazos e padrões de qualidade e produtividade requeridos pelo mercado de trabalho.


Para Adilson Dantas, analista Técnico de Educação Profissional da Firjan SENAI e delegado técnico do Rio de Janeiro na competição, a WorldSkills é uma oportunidade de mostrar para o resto do mundo o que está sendo feito no Brasil em educação profissional.

“É também um instrumento de avaliação fundamental que faz com que consigamos mapear pontos de melhoria e atualização tecnológica das equipes e dos planos educacionais de referência”, destaca.


Ele também acrescenta que a competição serve como vitrine para o mercado de trabalho, que fica de olho no desempenho dos melhores competidores.


Além de estar confiante em trazer o ouro para o Brasil, Ralph sabe que sua vida mudou. Ao voltar pretende se qualificar ainda mais tentar crescer na carreira.
“Tenho certeza que todo esse tempo de treino e todo apoio que tive dos instrutores fizeram com que eu adquirisse o conhecimento necessário para vencer. Estou preparado para representar o país da melhor maneira possível”. Fonte: Ascom/Firjan

Campartilhe.

Comentários desativados.