Governador mantém decreto de isolamento social por mais 15 dias no estado do RJ

0

O governador Wilson Witzel anunciou, na noite desta sexta-feira, durante uma live em seu Facebook, que estenderá o decreto de isolamento do Estado do Rio por mais 15 dias, a partir desta segunda-feira (30). Em sua fala, Witzel voltou a repetir os avisos sobre a quarentena. “Se não respeitarem a quarentena, não conseguiremos salvar sua vida. Por isso, vou prorrogar o decreto por mais 15 dias a partir desta segunda-feira”, disse ele, que alertou para os possíveis casos de subnotificação.

“Nós não temos condições de fazer teste, podemos ter mais de mil casos da covid-19 no Estado do Rio. Muita gente precisa trabalhar, precisa sobreviver, mas em países que retardaram medidas as pessoas ficaram doentes rapidamente”. Até esta sexta, o Rio tinha 493 casos confirmados do novo coronavírus e 10 mortes.

“Sei que empresários estão com dificuldades, mas esse é o momento de cuidar da saúde. É muito importante que mantenhamos as restrições. “Não ha outra alternativa. Aquele que diz que não é pra ficar em casa vai ser responsabilizado. Falar pras pessoas irem pra rua hoje é criminoso”. O secretário estadual de Saúde, Edmar Santos anunciou que a hidroxicloroquina será testada em pacientes graves.

“Ficar em casa faz a curva achatar, o vírus se transmite de forma mais lenta. O paciente chega com um pouquinho de falta de ar de manha, de tarde precisa de respirador e à noite morreu. A cada 10 pacientes no CTI, cinco morrem. As medidas não terão efeito, se as pessoas não ficarem em casa. Vamos começar a testar a hidroxicloroquina em pacientes graves, pra ver se muda a realidade da doença. Esse medicamento só poderá ser receitado por um médico”, disse Santos.

O decreto publicado pelo governador com restrições à população para evitar aglomerações e conter a doença foi publicado no dia 17. O prazo de 15 dias para as medidas terminaria no início da próxima semana, na terça-feira (31).

Witzel também reforçou que um mutirão humanitário vai distribuir cestas básicas para um milhão de famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único de Assistência Social, o Cad-Único. Segundo ele, o objetivo é socorrer famílias que vivem na pobreza extrema, as mais afetadas pelas medidas de isolamento social tomadas para tentar diminuir a disseminação do novo coronavírus. “Ninguém vai morrer de fome, vamos distribuir 1 milhão de cestas básicas para 1 milhão de famílias em todo o Estado”, pontuou.

“A fome não espera. Nós vamos vencer juntos essa pandemia. Uma guerra não se vence sozinho e, sim, com toda a sociedade. É uma primeira ajuda, e, com ela, as pessoas vão ter o que comer”. Alunos da rede estadual também serão contemplados, mesmo que suas famílias não estejam inscritas no Cad-Único.

Witzel afirmou já ter recebido informações de muitas empresas interessadas em participar do mutirão: “Estamos lutando para preservar vidas. Os empresários sabem que depois a economia vai retomar. Ressuscitar a economia a gente consegue, mas ressuscitar quem morreu é impossível. Nós temos que tomar essas medidas. Teremos dois meses pela frente para podermos atender essas famílias mais vulneráveis”.

Ao fim da live, Witzel disse que o “governo federal está ajudando”, sobre as negociações com o presidente Jair Bolsonaro, que questionou nesta sexta os números de casos divulgados pelo Ministério da Saúde. “Todos deverão ajudar, os prefeitos vão ajudar e o governo federal está ajudando. Alerto que quem descumprir as medidas de quarentena, poderá ser preso. Nós não podemos desafiar esta pandemia”.

Fonte: O Dia

Campartilhe.

Comentários desativados.