Greve dos petroleiros tem adesão em 10 estados

0

Trabalhadores de refinarias, fábricas, plataformas e termelétrica estão de braços cruzados desde sábado

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) divulgou na tarde deste domingo (02/02) um balanço sobre as primeiras horas da greve nacional que mobiliza com o objetivo de fazer com que a Petrobras cumpra os acordos com a categoria e suspenda a demissão de cerca de mil trabalhadores da Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen), que vai ser fechada.

Ao todo, são 12 unidades de refino (refinarias e fábricas), uma termelétrica e quatro terminais paralisados. Mais de 20 plataformas marítimas também estão seguindo orientações da greve. A mobilização acontece em 10 estados.

Decisão judicial

Na noite de sábado, a Justiça do Trabalho concedeu uma decisão favorável aos petroleiros que ocupam, desde a tarde de sexta, o prédio da sede da Petrobras no Rio de Janeiro (Edise). A ocupação, composta por cinco membros da Comissão Permanente de Negociação da Federação Única dos Petroleiros (FUP), seu deu por conta da falta de diálogo da diretoria da empresa. Para forçar os trabalhadores a saírem do prédio, a Petrobras cortou a água e a energia elétrica do local na tarde de sábado.

Confira o quadro nacional, por estado:

AMAZONAS
Refinaria de Manaus (Reman) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

CEARÁ
Fábrica de Lubrificantes do Nordeste (Lubnor) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
5 plataformas marítimas somente com liberação de serviços necessários para a segurança e habitabilidade.

PERNAMBUCO
Refinaria Abreu e Lima (Rnest) – sem rendição no turno desde a zero hora de 01/02
Terminal Aquaviário de Suape – sem rendição no turno desde a zero hora de 01/02

BAHIA
Refinaria Landulpho Alves (Rlam) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
Terminal Madre de Deus – sem rendição no turno desde as 07h de 01/02
Nos campos de produção, estão sendo realizados piquetes permanentes até às 15h, com adesão dos trabalhadores próprios e terceirizados

MINAS GERAIS
Termoelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité) – sem rendição no turno desde as 07h de 01/02
Refinaria Gabriel Passos (Regap) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

RIO DE JANEIRO
Refinaria Duque de Caxias (Reduc) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
Norte Fluminense – 17 plataformas seguindo a orientação do Sindicato de realizar levantamento de pendências de segurança, efetivo e se houve embarque de equipes de contingência a bordo

SÃO PAULO
Refinaria de Paulínia (Replan) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
Refinaria de Capuava, em Mauá (Recap) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

PARANÁ
Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
Fábrica de Xisto (SIX) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02
Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FafenPR/Ansa) – trabalhadores entregaram a unidade à gestão da empresa. Ocupação na porta da fábrica prossegue desde o dia 28/01
Terminal de Paranaguá (Tepar) – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

SANTA CATARINA
TEFRAN Terminal de São Francisco do Sul SC – sem rendição no turno desde a zero hora 01/02

RIO GRANDE DO SUL
Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) – sem rendição no turno desde as 07h de 01/02 Fonte: Revista Fórum

Campartilhe.

Comentários desativados.