Nível do Rio Muriaé, em Itaperuna, no RJ, começa a baixar

0

Nível da água cai pela terceira vez desde o início das chuvas.

Depois de apresentar nova elevação na noite deste domingo (26/01), o nível do Rio Muriaé, caiu pela primeira vez desde o início das fortes chuvas que atingem a Região Norte e Noroeste fluminense, no dia 21. Segundo a prefeitura de Itaperuna, uma das cidades mais atingidas, o nível do rio atingiu 5,99 metros por volta das 21h, mas durante a madrugada o nível da água começou a baixar e na medição das 10h de hoje estava em 5,84 metros. A cota de transbordo é de 4,50 metros.

Na noite de ontem, o prefeito de Itaperuna, Dr. Vinícius, decretou situação de emergência. Segundo a prefeitura, as inundações começaram na noite de sexta-feira (24) e já deixaram 3.570 pessoas desalojadas e 75 desabrigadas, chegando ao total de 15.800 pessoas afetadas.

O acumulado de chuvas desde o dia 21 chega a 134 milímetros, o que corresponde a 77% do esperado para todo o mês de janeiro. A prefeitura informa que a tubulação de abastecimento de água dos distritos de Retiro do Muriaé, Nossa Senhora da Penha, Comendador Venâncio e de outros bairros foi danificada e a população dessas comunidades está sem acesso à água potável.

O trecho da BR 356 que corta o município foi interditado, assim como a Avenida Cardoso Moreira.

Bom Jesus do Itabapoana
Em Bom Jesus do Itabapoana, a prefeitura decretou situação de emergência na sexta-feira (24). Segundo o decreto do prefeito Roberto Tatu, divulgado ontem (26), deslizamentos de terra atingiram rodovias estaduais, estradas municipais e moradias em encostas, além de bairros e distritos localizados nas margens do Rio Itabapoana, o que interditou diversos imóveis e desabrigou muitas pessoas.

Segundo o decreto, os locais mais afetados na zona urbana são: Centro, Pimentel Marques, Santa Rosa, Asa Branca, Bela Vista, Bairro Novo, Santa Terezinha, José Lima, Lia Márcia e Oscar Campos. Na zona rural foram: Distrito de Rosal, Distrito Barra de Pirapetinga, localidade do Bom Jardim, Distrito da Usina Santa Izabel e localidade do Mutum.

Estes lugares estão com “cenário de desastres em estado crônico, não minimizados e não recompostos”, segundo texto do decreto, e a situação foi classificada no Nivel II – desastre de média intensidade, conforme instrução normativa do Ministério da Integração Nacional. A prefeitura também decretou ponto facultativo no município hoje e amanhã.

Outras cidades

Em Porciúncula, o nível do Rio Carangola começou a baixar e na tarde de ontem chegou a 7,96 metros, após atingir 8,22 metros no sábado. A situação na cidade começou a se agravar na quinta-feira (23) e mais 300 famílias estão desabrigadas. Apenas no bairro Operário, 340 casas foram inundadas até o teto.

Segundo o balanço de ontem da Secretaria Municipal de Defesa Civil de Natividade, a cidade não registrou nenhum morto, ferido ou desaparecido. No total, 105 famílias estavam desalojadas e seis desabrigadas. O prefeito Severiano Antônio dos Santos Rezende decretou Situação de Emergência no município no sábado (25).

Governo do Estado
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sobrevoou as regiões afetadas ontem e divulgou nas redes sociais um vídeo em que conversa por telefone com o presidente em exercício, Hamilton Mourão, sobre a situação do norte e noroeste do estado.

No vídeo, o governador informa que “o maior problema agora é água, estamos com uma grande quantidade de água no Rio de Janeiro e precisa trazer pra cá”. Ele relata que em Porciúncula há 15 mil pessoas sem água e que Bom Jesus do Itabapoana está com “metade da cidade submersa” e pede ajuda ao Ministério da Defesa para fazer o transporte.

Mourão informa que o governo federal está ciente e diz que vai falar com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, para intensificar as ações de ajuda ao estado. Fonte: Agência Brasil

Campartilhe.

Comentários desativados.