Queda de barreira interdita parcialmente BR 356 entre Itaperuna e Italva

0

As chuvas chegaram à região, na tarde desta quinta-feira (23), deixando as Defesas Civis dos municípios em alerta. Moradores de Itaperuna, no noroeste fluminense, informaram que a queda de uma barreira interditou parcialmente, no fim da tarde, a BR 356 no trecho que liga ao município a Italva, também no Noroeste Fluminense, o que foi confirmado pela Defesa Civil Estadual.

De acordo com o Instituto Estadual de Ambiente, choveu 26 mm nesta tarde em Itaperuna e ruas do município alagaram.

Uma família precisou ser removida de uma residência no bairro da Cehab. Em Bom Jesus de Itabapoana, o rio Itabapoana atingiu a cota de transbordo, que é de 2m10, por volta das 17h30 desta quinta. O acumulado de chuva na cidade, em uma hora, foi de 37,8 mm.

De acordo com a Marinha do Brasil, existe a possibilidade de que, entre esta quarta e sábado, se forme um ciclone subtropical na costa da Região Sudeste do Brasil, que pode ter reflexo em diversos estados, incluindo o Norte Fluminense e o Espírito Santo, mas até o momento não há confirmação.

A região Norte e Noroeste Fluminense e o Espírito Santo, além de parte dos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Bahia, estão com alerta de perigo de chuvas intensas desde o fim da manhã dessa quarta (22) até sexta-feira (24), segundo o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet).

A previsão aponta ainda que os totais pluviométricos podem alcançar de 150 milímetros a 400 milímetros, impactando severamente esses estados. O informe é do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR); do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet); do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden); e do Serviço Geológico Brasileiro (CPRM).

Em Campos dos Goytacazes, a chuva ainda é fraca. Nas últimas duas horas, foram registrados 4,6 mm, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A Defesa Civil municipal emitiu alerta para pescadores e banhistas da praia de Farol de São Thomé. De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal, major Edison Pessanha, embora não haja previsão de ressaca em Farol para os próximos dias, o aviso de um ciclone em alto mar é um sinal de alerta. Fonte: Folha da Manhã

Campartilhe.

Comentários desativados.